Onde Comer em Madri

Vou contar aqui algumas dicas de Onde Comer em Madri. Lugares que conheci na minha viagem e achei que valem uma visita pelos mais variados motivos, quer seja pela comida,  preço justo, experiência, aspecto curioso ou cultural; enfim, numa viagem são muitos os porquês que nos levam a gostar e indicar lugares.

Também me preocupei nessas dicas de Onde Comer em Madri, em citar estabelecimentos possíveis, com preço acessível. Viajar para a Europa é sempre caro e, na grande maioria das vezes, priorizamos o passeio, conhecer os lugares, e acabamos comendo em restaurantes, bares, cafés, lanchonetes, etc., que estão no nosso caminho, quando a fome aperta.

O mais gostoso da capital da Espanha é que, por onde você estiver passeando, sempre vai se deparar com uma praça e haverão estabelecimentos para comer e beber com mesinhas espalhadas pela calçada (especialmente nos meses mais quentes). Então, aproveite bem a sua viagem e se minhas dicas de Onde Comer em Madri, casarem com o seu tour pela cidade, faça bom proveito!

Vou começar minhas dicas sobre Onde Comer em Madri  pelos mercados; boas opções para provar pratos variados da cozinha local, vinhos espanhóis em taça e as tradicionais sangrias, entre outras bebidas.

Mercado de San Miguel –  construído em 1916 com estrutura de ferro fundido e vidros, é uma verdadeira vitrine gastronômica na Plaza de San Miguel. O espaço pequeno, possui puestos (estabelecimentos) onde é possível comprar carnes, queijos, peixes, embutidos, frutas, verduras – para levar para casa. Ou, então, aproveitar as mesas coletivas para degustar uma taça de vinho, coquetel, vermut, cerveja, acompanhados das mais variadas tapas servidas no local. Você pode escolher entre as frituras do El Señor Martín ou do Carro de Croquetas, a charcuteria do Carrasco Guijuelo, as receitas do Alevín Cocina Creativa, do Lhardy ou do Paella y Olé, entre tantas outras opções.

Mercado de San Anton – com uma pegada mais moderna que o de San Miguel , foi fundado em 1945 na região da Chueca em Madri, tem no primeiro piso puestos de ingredientes para levar para casa. Entre carnes diversas, pescados, charcuteria, frutaria, temperos e legumeria de qualidade; vale destacar a charmosa Murua Oleoteca, especializada em azeites e seus subprodutos e a convidativa Taberna-Vinoteca La Imperial, onde é possível provar no local ou levar todos os vinhos em exposição. A segunda planta do Mercado de San Anton, é circundada por uma série de puestos, onde é possível escolher: tapas, sanduíches, arrozes, carnes, peixes, frutos do mar, tem também comida grega e japonesa – uma festa! O terceiro piso, oferece um descolado restaurante-terraço com vista para o bairro, servindo uma cozinha autêntica de mercado, com produtos frescos, porém mais elaborada.

Mercado San Ildefonso – na calle Fuencarral 57, fica esse mais novo espaço gastronômico de Madrid,que segue a linha moderninho retrô. A entrada estreita, no nível da rua, não revela o que se encontrará nos pisos superiores e, por isso, pouco desperta a atenção dos passantes. Mas, vá por mim, vale à pena entrar e conhecer! Pequenos puestos, normalmente operados pelos seus próprios donos, oferecem cozinha de autor em uma ambiente muito agradável. São 3 pisos pequenos e aconchegantes por onde se distribuem os mais de 20 estabelecimentos , com uma gostosa área de comedoria ao ar livre, rodeada de verde. Além dos comes, um bar para vinhos e drinks e uma cervejaria.

Outra pedida de Onde Comer em Madri , é o Museo del Jamón, verdadeira instituição dos madrilenhos, onde é possível provar no balcão (barra) um Bocadillo (sanduíche) de Jamón por 1 euro, entre tantas outras sugestões – sempre acompanhados pelas cervezas del museo (tamanhos: caña 20cl = 200ml ou copa 30cl =300ml), que também custam menos de 1 euro. Além de comer por lá, você pode comprar jamón de diversas procedências, embutidos e queijos; fatiados ou peças inteiras.

Falando no presunto cru espanhol, comê-lo, nos mais variados cafés, bares de tapas e restaurantes, fatiado e acompanhado de queijo Manchego (produzido com leite de ovelha Manchega, criada na região de La Mancha) e picos (biscoitos crocantes feitos com farinha de trigo e azeite) é um saborosa experiência. Foi o que fiz num dos estabelecimentos da charmosa Plaza de Santa Ana, que tem numa das pontas o imponente Hotel Reina Victoria e na outra o tradicional Teatro Español (cuja história começa em 1565). Lembrando sempre que comer na terraza (nas mesinhas da rua) sai mais caro do que comer dentro dos lugares.

A Cervecería 100 Montaditos, muito frequentada pelos espanhóis, especialmente por turmas mais jovens, tem 100 montaditos (mini sanduíches) à escolha e, pra não que ninguém se perca no cardápio, oferecem papel de pedido para que todos possam anotar os números dos lanches. Os mini pãezinhos são crocantes, o recheio é bem preparado – por € 1 ou €1,20,  conforme o dia, é um achado na cidade. Destaque para Carne Desmechada (cozida, desfiada e bem temperada) e o de Queijo de cabra com pesto.

No desayuno, café da manhã na cidade, a dica é pão bem passado na chapa com tomate e azeite (foto de abertura da matéria), um lugar aconchegante é o Café y té Carmen (calle Carmen 17).

Os restaurantes mais moderninhos ficam no bairro da Chueca, especialmente nas calles Liberdad e San Marcos. No Bazaar restaurante, provei: Pulpitos encebollados sobre patatas confitadas – polvo delicioso, molho picante e intenso, cheio de personalidade e Pasta-soles de ricota en crema con rúcula y gambas – massa cozida ao ponto, bem recheada e com encorpado molho de rúcula e camarões; de sobremesa uma Tarte Tatin com maçãs bastante cremosas e doçura na medida.

No El 26 degustei o menu de meiodia (entrada, principal, sobremesa e taça de vinho por 10,50 euros ): refrescante Salmorejo cordobés con huevo y jamón – creme de tomate sedoso e bem temperado;  Albóndigas con piesto manchego – acompanhadas de batatas essas almôndegas são totalmente cara de comida feita em casa; e de sobremesa Mel i Mató – tão simples quando saboroso, queijo de cabra, mel e nozes.

Horno de San Onofre – na Calle San Onofre 3 (mas tem outras lojas também veja no site) – vale conhecer essa unidade, que tem certo clima de “em algum lugar do passado”. Entre as muitas opções que te fazem se perder na interessante vitrine, vale provar a Barca de Manzana – massa folhada fina e crocante, maçãs macias e sem excessos com o açúcar.

Chocolateria San Ginés – casa bastante tradicional de Madri, aberta 365 dias no ano e 24h por dia, é mais uma boa pedida de Onde Comer em Madri.  Existe desde 1894 e seu salão mantém os ares de uma outra época; pelas paredes, fotos com famosos que passaram por lá. A especialidade são os churros crocantes e sequinhos, servidos em porções, acompanhados de chocolate para molhar. No site da Chocolateria San Ginés você encontra os números impressionantes de consumo.

Gourmet Experience – uma coisa é certa, não vai dar pra você sair de Madri, sem passar numa das lojas do El Corte Inglés (os espanhóis dizem que, se  o que você quiser não tem lá, é porque não existe. rs). Vale conhecer o 9o. andar da unidade Grand Vía – com direito à vista da cidade – onde, além de um mercado de produtos gourmets, há espaços para beber vinho (Marqués de Riscal), cerveja acompanhada de hot dog, comer hamburguesas, tapas, tomar um gelato, devorar sanduíches, etc. Você pode dar sorte de conseguir uma das mesas do terraço com vista da cidade e direito ao pôr do sol.

Boa viagem e espero que aproveite minhas dicas de Onde Comer em Madri !

Alessander Guerra

Envie uma mensagem