Casa Mathilde

Casa Mathilde_Pastel de Nata_foto Cuecas na Cozinha

O nome da doçaria portuguesa Casa Mathilde está ligado à Fábrica das Queijadas Mathilde fundada em 1850 por Mathilde Soares Ribeiro, em Ranholas,no caminho entre Lisboa e Sintra em Portugal. O rei D. Fernando II, era o mais ilustre admirador das queijadas, tanto que concedeu o selo de fornecedora da Casa Real.

De lá pra cá, em 2013, a Casa Mathilde desembarcou no Brasil, com sócios portugueses, e instalou-se na Praça Antonio Prado, no prédio da Bolsa de Valores, no Centro da cidade de São Paulo. O salão amplo, envidraçado, com ares de antigamente, mas completamente reformado, pertenceu nos anos 50 ao primeiro restaurante Fasano.

Casa Mathilde_Queijada da Mathilde_foto Cuecas na Cozinha3

a famosa Queijada da Mathilde

De Portugal, além das receitas, vieram os dois chefs confeiteiros (pasteleiros, como se diz por lá), os balcões envidraçados e os fornos. Algumas preparações são iniciadas na casa dos cremes, também conhecida como “casa dos segredos” (fica no subsolo da confeitaria), lá só entram os dois confeiteiros, o acesso é proibido até para os sócios, tudo a fim de manter o sigilo das receitas.

No fundo do salão, cozinhas envidraçadas mostram o movimento de funcionários que não param de assar, especialmente os pastéis de nata (ou de Belém como são mais conhecidos).

Casa Mathilde_Queijinho do Céu_foto Cuecas na Cozinha2

Queijinho do Céu (massa de amêndoas recheada de creme e fios de ovos) 

Na longa vitrine da Casa Mathilde mais de 30 tipos de “queijos” (como são chamados os doces em Portugal), a grande maioria com o tom amarelado das gemas. Há ainda pães (que podem ser levados pra casa) como o rústico Pão Alentejano e o Pão com Chouriço (linguiça portuguesa), empadas (camarão, galinha e palmito), folhados e algumas opções de sanduíches que podem ser provados por lá. Mas o que há de sal ocupa um espaço bem mais modesto, quem reina no amplo salão é o açúcar.

Entre os doces conventuais (assim chamados porque nasceram pelas mãos das freiras nos conventos): Pastel de Nata (o doce português mais famoso aqui no Brasil – minha foto de abertura da matéria), Pastel de São Bento (com massa folhada e recheio de amêndoas), o Queijinho do Céu (massa de amêndoas recheada de creme e fios de ovos)  os Travesseiros de Sintra (massa folhada enrolando um creme de amêndoas) e as famosas Queijadas da Mathilde (que tem um interior cremoso, bastante característico, como podem ver na foto); para citar algumas opções saborosas que despertam a gula no amplo balcão envidraçado.

Casa Mathilde_Pão Alentejano_foto Cuecas na Cozinha

o tradicional Pão Alentejano

Acesse o site da Casa Mathilde – clique para ver o Mapa

Alessander Guerra

Envie uma mensagem