Hospedaria

Fui visitar o Hospedaria,  restaurante que funciona no bairro da Mooca e serve comida que te abraça!

Eu nasci, cresci e continuo vivendo em São Paulo então, pra mim, visitar a Mooca tem um quê de afetividade.

Até porque moro longe do bairro e com o trânsito caótico da cidade tudo fica mais difícil.Hospedaria

Mas vamos falar da cozinha do Hospedaria, puro resgate da culinária dos imigrantes, especialmente os italianos.

O chef Fellipe Zanuto, que também comanda A Pizza da Mooca e a panificadora Da Mooca Meu, trouxe para o cardápio memórias de infância combinadas a muitas pesquisas.

“Não sei quantas vezes protagonizei essa cena. Minha avó correndo atrás de mim, doida da vida. Mas era tão bom…” diverte-se o chef contando suas aventuras depois de “chuchar” seu pão no molho de tomate que sua avó deixava apurar por horas na panela.

“Pesquisei cadernos de receita de imigrantes, matérias-primas e técnicas usadas no começo do século passado. Conversei com muitos imigrantes e filhos de imigrantes. Descobri muitos pratos e a dificuldade de prepará-los”, completa Zanuto, que, além das pesquisas e memórias próprias incorporou sabores afetivos de toda a equipe do Hospedaria.

A ideia do restaurante é oferecer uma comida simples, bem executada, com ingredientes de qualidade que respeitam a sazonalidade.

Enfim, tudo que sempre funcionou muito bem por aqui, antes de inventarem as firulas gastronômicas.

HospedariaLinguiça Imigrante – foto Wellington Nemeth

Hospedaria

Menu

Pois não é que a lembrança carinhosa transformou-se numa entrada do restaurante?

Pão com molho (R$22) – uma vasilha de molho de tomate quentinho com pão do dia para ser “chuchado” à vontade.

Outra boa dica pra começar é a Linguiça Imigrante (R$32).

Feita na casa, acompanha geleia de cebola , picles de pepino, mostarda fermentada e pão de milho, tudo preparado por lá.

Há também Frango a Passarinho (R$36)

Frango marinado 24 horas, empanado e frito, servido com maionese de missô com wasabi, gengibre e salsa fresca.

Um prato principal imperdível, é o Bolonhesa (R$44).

Massa fresca feita na casa, molho de tomate com carne de porco e bovina e fonduta  de queijo meia cura.

Tudo tostado na lenha! Isso mesmo!

Tem um forno por lá, usado especialmente para acrescentar aquele toque defumado ao sabor de alguns pratos.

Hospedariasente o aconchego na foto que eu tirei do meu Bolonhesa

Uma mistura generosa de sabores é o Risoto de Imigrante (R$46 ).

Preparado com arroz agulhinha, pedaços de frango e porco, legumes orgânicos da estação, palmito pupunha, ovo mole e queijo meia cura.

O Milanesa (R$39) utiliza coxão mole de angus empanado e frito, salada de batata com maionese caseira e agrião.

Para a sobremesa, outra memória afetiva, o pavê da Mônica (mãe do chef).

“É um doce de domingo, muito simples, com biscoito de maisena, chocolate amargo e creme de leite fresco, mas a combinação traz a minha infância e faz muita gente lembrar da própria com suas próprias versões de pavê”.

Bom avisar que de 3a a 6a feira das 12h às 15h, o Hospedaria oferece almoço executivo: entrada + comida R$39

Para harmonizar, poucas opções: um chope artesanal, alguns vinhos brasileiros e uma pequena carta de drinques.

Vale provar o refrigerante Ginger Ale feito na casa.

HospedariaRisoto de Imigrante – tirei a foto pouco antes de devorarmos o prato

Hosperdaria

Ambiente

A arquitetura do Hospedaria procura misturar o passado operário da Mooca com os avanços da industrialização.

Luminárias resgatadas de fábricas e estações de trem da época, o concreto interagindo com a madeira, o cinza relembrando o maquinário e a atmosfera das usinas, tudo está presente no antigo galpão que cedeu espaço ao restaurante.

Por outro lado, a mesa comunitária, o fogão a lenha e os pratos do menu, apontam para dentro das casas dos imigrantes, que sempre deram e ainda dão personalidade ao bairro.

HospedariaPavê da Mônica

Uma Cozinha de Memórias

Não são só os italianos e outros imigrantes europeus que o chef Fellipe Zanuto pretende homenagear no Hospedaria.

De repente, pode entrar no cardápio pratos de uma família libanesa, chinesa ou de qualquer outro canto do mundo.

Afinal de contas, a cozinha de São Paulo é eclética, viveu e vive sempre de portas abertas para a culinária das mais diversas origens.

#ficaadica:  conforme o horário que você for ao restaurante, não esqueça de atravessar a rua e entrar na tradicionalíssima confeitaria italiana Di Cunto, instalada desde 1896 por lá. Você encontrará uma série de doces, mas vou sugerir que prove dois: Sfogliatella e Torta Regina.

Hospedaria
Rua Borges de Figueiredo, 82, Mooca, tel.: (11) 2291-5629.

Para serviço completo acesse o Facebook

Preços referentes à época da visita Maio/2017

 

Alessander Guerra

Envie uma mensagem