Cervejas trapistas belgas

frade - Cervejas trapistas belgas

A história e curiosidades sobre as cervejas trapistas belgas. Cervejas que foram criadas pelos religiosos do monastério Notre-Dame de la Trappe, monges pertencentes à Ordem dos Cistercienses de Observância Estrita, ou Trapa. São seis monastérios e cervejarias na Bélgica e apenas uma abadia na Holanda. E antes de falarmos mais sobre as cervejas trapistas belgas, uma historinha para relaxar.

O bêbado chega em casa

  • Fala alterada a mulher: “Miseráááávellllllll, bebeu de novo?”
  • Grunhe pensativo o bêbado: “Eu tava…eu tava (sabe que bêbado fica repetitivo)”.
  • Fala ainda mais alterada mulher: “Vai inventar qual desculpa, agora?
  • Grunhe o bêbado que acabou de lembrar-se o que ele tava: “Eu tava fazendo caridade, mulherrrrr” (lamentavelmente o bêbado baba porque é muito “r” pra falar).
  • Sobe nas tamancas a mulher: “Seu safaaaaaaaaaaado! Que desculpa mais deslavaaaaaada!” (mulher brava estica uma vogal!)
  • Grunhe atônito o bêbado: “Numtomintindo (nessa hora a língua do bêbado sempre embola) cada cerveja que bebi ajudou, é… (bêbado quando não sabe o que dizer diz sempre “é” – deve ser um tipo de conclusão dele para com ele mesmo).

776b - Cervejas trapistas belgas

O pobre bêbado tinha razão! Ele acabara de encher a cara com cervejas Trapistas Belgas. Trapista é o nome popular dos monges pertencentes à Ordem dos Cistercienses de Observância Estrita, ou Trapa. Os religiosos do monastério Notre-Dame de la Trappe deram origem a essa nova Ordem em 1664.

Contrários à vida cheia de ostentação de muitos monges poderosos da época, os trapistas resolveram optar por uma vida mais simples e totalmente reclusa. Preparando seu pão, queijo, plantando sua própria horta e árvores frutíferas.

Na França as abadias cultivavam vinhedos e produziam seus vinhos, mas na Bélgica plantar uva era complicado. A solução foi produzir cerveja! Os monges estavam reclusos, mas não mortos, né? Era preciso alegrar aquele povo de batina de algum jeito!

Como a cerveja pulou o muro dos monastérios belgas, ninguém sabe, ninguém viu. O fato é que pulou e após a Segunda Guerra Mundial passou a ser comercializada profissionalmente. Existem apenas sete abadias trapistas que produzem essas cervejas no mundo, uma está na Holanda (Koningshoeven) e as outras seis na Bélgica: Westmalle, Westvleteren, Chimay, Orval, Rochefort e Achel.

monks - Cervejas trapistas belgas
As Trapistas têm um método singular de fabricação: são de fermentação alta e as escuras feitas com malte escuro e muito lúpulo. Durante o engarrafamento, açúcar cândi e levedura são acrescentados à cerveja, dando início a uma segunda fermentação, responsável pelo resíduo sedimentado no fundo da garrafa.

Devem ser guardadas sempre na posição vertical e servidas lentamente, para que o fundo não se misture. Sua graduação alcoólica é bem alta de 7% a 11,5%. Devem ser tomadas à temperatura entre 8 e 12 graus.

Curiosidades
Porque o bêbado tinha razão? – Porque grande parte do lucro com as cervas vai para projetos assistenciais na Índia, no Zaire e no Congo.

A cerveja tem um padroeiro: São Arnold. Um beneditino belga que no século XI estimulou os fiéis a trocarem água por cerveja.

A água contaminada, causadora de tantas epidemias e mortes ao ser fervida para a produção de cerveja ficava limpa. Sem contar que as missas passaram a ser alegres que era uma beleeza! (essa última parte coloquei por minha conta tá)

Visite sem moderação

achel01 - Cervejas trapistas belgas
www.achelsekluis.org/general/home.htm

chimay plaque - Cervejas trapistas belgas
https://www.chimay.com/

Orval 0001 - Cervejas trapistas belgas
https://www.orval.be/

774px Rochefort beers - Cervejas trapistas belgashttps://www.trappistes-rochefort.com/

bieren westmalle dubbel - Cervejas trapistas belgashttps://www.trappistwestmalle.be/

Westvleteren12 thumb - Cervejas trapistas belgas
https://www.sintsixtus.be/eng/home.htm

Image.aspx thumb%5B2%5D - Cervejas trapistas belgas

https://www.latrappe.nl/content.asp?m=P3&l=NLKoningshoeven (Holanda)

Dica final – Beer Paradise – Site com várias informações sobre as cervejas belgas – para acessar digite o ano em que nasceu – se mentir já viu, né?

Alessander Guerra

4 Comentários

  1. >Antes de mais, obrigado por ter publicado este meu comentário que humildemente vem divulgar o meu novo blog. A vida é uma correria, mas se por momentos nos dedicarmos nem que seja um pouco há cozinha, as coisas podem tornar-se muito mais fáceis. É um homem que escreve este blog, um homem que se viu na necessidade de cozinhar para si. Pratos simples que sejam, são como eu gosto de comer. Um blog para partilhar com todos os que gostam da arte de cozinhar, uma arte de faço e garfo. E agora, já vai uma garfada?

    https://pratosdeouro.blogspot.com/

  2. Olá Alessander, tudo bem? =)

    Excelente postagem, mas se você me permitir, gostaria de complementá-la com uma informação que ficou faltando.
    Já contamos com mais 2 cervejarias autenticadas com o selo de Authentic Trappistes no mundo, na Áustria reside a abadia de Stift Engelszell que conta com 2 cervejas em sua linha de produção, a Gregorius e a Benno, sendo que ambas já podem ser encontradas no Brasil com uma certa facilidade. A outra é a primeira cervejaria trapista fora da Europa, se trata da Abadia de St. Joseph, localizada em Spencer, Massachusetts, curiosamente a única cerveja que eles produzem até o momento também se chama Spencer, essa infelizmente não vem pro Brasil (por importação tradicional, na mala do amigo sempre é possível conseguir algumas), mas conheço algumas pessoas que tomaram e disseram se tratar de uma Blond Ale bem maltada e refrescante, cerveja fácil de ser tomada e que deve ir bem com pratos leves.

    No mais, a única coisa que eu posso recomendar é que pra quem leu o texto e ficou com sede (eu fiquei), procure em sua cidade uma loja/empório/bar especializado em cervejas, visite o estabelecimento, se dê o direito da experiência de apreciar uma cerveja que contém tanta história e tamanha complexidade, você não vai se arrepender.

    Santé.

Envie uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA
Refresh

*