Restô Augusta

DSC09532%25255B5%25255D - Restô Augusta

Aush

O chef Rodrigo Libbos abriu o Restô Augusta no mesmo lugar do seu antigo Kebab Salonu. Na época do Kebab Salonu ele deu uma verdadeira aula de Kebab nesse post aqui no blogKebab, Kabab, Kabob ou será Michui?.

Agora a cozinha é mais variada e a descendência portuguesa por parte da família do pai de Rodrigo pode ser vista em pratos como a Alheira com Fritas ou o Coração de Alcatra e batatas da vó. E da família materna continuam as experiências turcas e libanesas – sobraram alguns Kebabs do restaurante antigo e o cardápio agora conta com outros pratos libaneses e turcos, inclusive um que remete à casa Picanha de Cordeiro e Mujadra da mãe.

Há ainda pratos italianos, gregos, espanhóis, franceses, um passeio pelo Mediterrâneo seus aromas e sabores. Rodrigo também está valorizando vários produtores artesanais brasileiros, como seu fornecedor de queijo camembert feito com leite de cabra que é de São José do Rio Preto. E tá rolando até uma experiência com um ingrediente do interior de São Paulo feito do jeito mediterrâneo, o coração de bananeira no azeite (lembra muito o sabor da alcachofra). Veja o cardápio completo acessando o site .

Na entrada do restaurante há uma série de antepastos para serem comprados por peso, inclusive pra viagem. No almoço rola um bufê com pratos variados do Mediterrâneo e direito ao Döner kebab, conhecido aqui no Brasil como churrasco grego, aquele espetão cheio de coisas que fica girando na televisão e as pessoas vão se servindo de fatias. E num cardápio do Oriente para finalizar a refeição não poderiam faltar os chás, como o de maçã desidratada e os cafés turcos, como o que é preparado com cardamomo. Entre as bebidas também sodas libanesas e sangrias.DSC09529 thumb%25255B2%25255D - Restô Augusta

Camembert de cabra assado com compota de amoras e amêndoas tostadas

Mas como aqui no Cuecas na Cozinha a gente não quer só comida, queremos também curiosidades. Vou falar do Aush (que com determinadas variações no nome, significa no Oriente Médio – macarrão).

Rodrigo juntou um dos grandes costumes em vários países do Oriente Médio, que é misturar molho de tomate apimentado com especiarias com coalhada e dispôs essa mistura sobre um macarrão (Aush). No Restô Augusta ele usou aletria, mas também é costume nos países do Oriente Médio usar capeletti recheado com carne de cordeiro.

A propósito, o Aush estava delicioso, uma mistura perfeita do molho de carne picante com a coalhada, mas já vou avisando que é picante mesmo! Há também a versão Lactovegê (molho de tomate picante sem a carne). Falando nisso por estar na rua Augusta e ter bastante procura dessa clientela Lactovegê, vários pratos do restaurante possuem essa versão.

Engraçado que a gente pensa na comida do Oriente Médio e não vem à nossa cabeça a massa, não é verdade? Mas vejam a história que o chef contou: o macarrão fresco surgiu na China, mas os árabes para poderem transportá-lo, conservá-lo por mais tempo e comercializá-lo mundo afora inventaram a técnica de secagem ao sol e vento, aí levaram o macarrão para a Sicília de onde ele se espalhou para toda a Itália e daí para o mundo. Dando sempre a fama da massa aos italianos. E agora pensemos no famoso couscous marroquino ele é feito de sêmola de trigo e água, que são moldados em pequenas bolinhas, os mesmos ingredientes que são utilizados para fazer o macarrão. Esse mundo sempre foi globalizado bem antes da internet existir.

Alessander Guerra

Envie uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA
Refresh

*