Villa Jockey e restaurante Valero

Valero Restaurante no Villa Jockey foto Cuecas na Cozinha2 - Villa Jockey e restaurante Valero

Eu sempre comemoro quando a história, a cultura e a gastronomia podem andar juntas, como é o caso do Villa Jockey e restaurante Valero.

Senta que lá vem história!  O Jockey Club de São Paulo começa a funcionar em 14 de março de 1875, com o nome Club de Corridas Paulistano; quando foi fundado por Raphael Aguiar Paes de Barros (filho do Barão de Itú e neto do Barão de Iguape), que estudou na Inglaterra e voltou apaixonado pelas corridas de cavalos e por Antônio da Silva Prado, futuro capitão Antônio Prado. A primeira corrida oficial aconteceu em 29/10/1876, no Hipódromo da Mooca (rua Bresser) – só haviam dois cavalos inscritos, Macaco (que ganhou a corrida) e Republicano. Outra data histórica é 10/07/1877, quando ocorreu a primeira vitória de um cavalo (Corisco) tendo uma mulher – Maria Domitila de Aguiar Castro, neta da Marquesa de Santos – como proprietária. Em 21 de abril de 1912, não são os cavalos que dão o espetáculo no Hipódromo da Mooca, mas sim um aeroplano pilotado pelo Comandante Edú Chaves, com destino ao Rio de Janeiro.

Olha só quanta coisa sobre a cultura e história de São Paulo e ainda nem chegamos no atual espaço do Jockey Club no Hipódromo Cidade Jardim, onde fica o Villa Jockey e restaurante Valero. Mas a gente chega lá, em 25 de janeiro (aniversário da cidade) de 1941 o lugar foi inaugurado  numa área de 600 mil metros doada pela Companhia Cidade Jardim, espaço concebido por Fábio Prado, então Prefeito de São Paulo e Presidente do Jockey Club. Naquela época, a Cidade Jardim (hoje um dos bairros mais caros de São Paulo), era apenas um lugar distante, de difícil acesso, porque ficava do outro lado do rio Pinheiros. Na década de 50 o arquiteto francês Henri Pierre Sajous, promove reformas (que compõe o desenho atual)  e transforma o espaço em referência no estilo Art Déco no Brasil.

Valero Restaurante no Villa Jockey foto Cuecas na Cozinha1 - Villa Jockey e restaurante Valero

Muito bem, parte dessa história e cultura estavam comprometidas, pela falta de conservação, mas agora depois de um grande processo de restauração promovido pela empresária Milva Lopes,  acompanhado de perto pelo CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico Arqueológico, Artístico e Turístico) e CONPRESP (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo), a cidade ganha de volta uma parte dos prédios do Jockey Club, hoje chamados de Villa Jockey e restaurante Valero.

Pouco antes da inauguração no final de 2015, eu estive lá almoçando com a Milva e pude ver de perto o ótimo resultado. Quem passa pela Avenida Lineu de Paula Machado, mais exatamente no número 1263 percebe um corredor envidraçado de cristal gigante que conduz a um prédio com ares de algum lugar do passado. Essa entrada, tem uma escadaria e corredor impressionantes feitos em mármore de Carrara. Lugar facilmente identificável por muitos paulistanos que circulam pela rua de grande movimento. Pois é essa parte do Jockey Club de São Paulo que foi restaurada, ao final do corredor de uma claridade ímpar, banheiros “novinhos” com peças originais, chapelaria e avançando as escadarias um hall com piano de calda Bechstein do século XIX e logo uma vista da pista de corrida de cavalos (tudo num plano contínuo).

Valero Restaurante no Villa Jockey foto Cuecas na Cozinha - Villa Jockey e restaurante Valero

No hall à esquerda visualizamos o amplo salão do Villa Jockey, que tem mural esculpido em pedra por Victor Brecheret (o mesmo que fez o Monumento às Bandeiras, mais conhecido como “Deixa que eu empurro” na frente do Parque do Ibirapuera)  reservado para festas e casamentos de vários dígitos, que podem abrigar cerca de 1200 pessoas. À direita , está o restaurante Valero com um salão também completamente restaurado, elegante e pronto para se fazer uma boa refeição, enquanto se aprecia a paisagem. Ambos os salões tem varandas que os atravessam de ponta a ponta, com vista para a pista de corrida.

A cozinha dos dois espaços é comandada pelo competente chef francês Pascal Valero que, desde que chegou ao Brasil, passou pelo EAU (Grand Hyatt, São Paulo), Le Coq Hardy e  Kaà, também na cidade.

Bom, seu casamento ou festa eu não sei se vai poder fazer por lá, mas aproveitar o restaurante Valero e provar a comida do chef você pode se dar ao luxo. De segunda a sexta, há menu executivo, com direito a couvert, entrada e prato principal por R$ 65 (preços de Jan/2016). No final de semana e feriados, o restaurante funciona no almoço em sistema de bufê, com mesa de saladas e frios, principais como pernil de vitelo e filé de pescada, acompanhamentos e sobremesas (R$ 98 por pessoa). Quem quiser também pode optar pelo enxuto menu à la carte, entre as sugestões Tortellini de queijo brie na manteiga de sálvia e geléia de damasco (R$47), Peixe do momento ao molho Vermouth e lagostim com massa Cavatelli (R$64), Paleta de cordeiro assada com especiaria, cuscuz de frutas secas (R$78), Coxa de pato confit , batata sautée e molho rôti (R$75) e de sobremesa Fondant de chocolate VALERO (R$22).Para jantar, o restaurante só abre às segundas (dia de corridas), com o cardápio à la carte.

 

Villa Jockey e restaurante Valero

Avenida Lineu de Paula Machado, 1263, Cidade Jardim

Serviço atualizado e completo no facebook do Villa Jockey  / Mapa

 

 

Alessander Guerra

Envie uma mensagem