Contra o espírito de manada ou Por que mataram o Pato Gordo?

hgh - Contra o espírito de manada ou Por que mataram o Pato Gordo?

Como todo bom ariano, detesto o espírito de manada. Esse que tem dominado o mundo da gastronomia chega a “pesar no estômago”. Lá vem o seu crítico, que avalia comida como se fosse um CSI (peso, altura, medida, espessura, textura, técnica e por aí vai).

E seu crítico diz que aquela comida é genial à imagem e semelhança do chef. E lá vem seu outro crítico que repete a mesma coisa, só que mais enfeitada (afinal não pode fazer feio frente ao outro colega). E logo aquilo vira um mantra e já ninguém sabe mais porque fica sendo repetido.

Mas, e eu? Que sou um pobre mortal e gosto apenas que o gosto da comida seja bom. Como faço? Será que eu realmente não sei o que é comer bem? Lavei a minha alma!

Eis que nessa semana no caderno Paladar, do jornal Estadão, surge Rogério Fasano dizendo exatamente o que pensa sobre o Fat Duck, restaurante caro e disputado, que fica nos arredores de Londres, com chef endeusado pela dona Crítica. Ele relata sua cara (no sentido monetário, diga-se de passagem) experiência gastronômica como uma das mais desastrosas que já teve. Também concordo com o Sr. Fasano, pra mim comida tem de ter sabor. Quem quer ver espetáculo que vá ao teatro. Não precisamos comer espuma ouvindo o barulho do mar num ipod, que já passou de orelha em orelha.

 

Alessander Guerra

4 Comentários

  1. >Que bom Ale!!! Demorou, mas agora vc é um blogueiro oficial!
    Bem-vindo!
    Bom, como sabe, concordo com vc e com o Fasano (que chic! rs).
    Minhas raízes portuguesas e italianas falam sempre mais forte. Minha família é daquelas que qualquer comida, desde o mais simples doce, tem de ser ter sabor, tempero, cheirinho e textura. Em que o azeite, o alho e a cebola dão toque a todo o resto.
    É sentar à mesa, saborear cada alimento, simplesmente isso.
    Eu adoro Ipod, mas não preciso do barulho do mar para saborear nada e muito menos me isolar para “descobri um sentido gastronômico”. Preciso das pessoas, das palavras, do conforto da comida, da vivência comida-pessoa-conversa. Isso que é viver!
    Bjs
    Cris

  2. >Ahahahahahahah!Que engraçado!
    Mas concordo que vmos para um restaurante para comer e não para ver espetáculo!
    Bjocas.
    Tata.

Envie uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA
Refresh

*